Estamos todos em luto. 

Depois de dois meses aflitas com a internação do genial Paulo Gustavo, e sempre nos segurando naquele fio de esperança de acordar e ler que ele havia sido –  finalmente – extubado, ontem a realidade desse vírus maldito se fez mais forte.

A primeira pergunta sempre é: “Por que”?

Qual o sentido de tirar a vida de uma pessoa idolatrada por milhões no auge da sua potência criativa?

No começo da sua jornada como pai?

Que Universo é esse – ou Deus, já entrando no terreno da religiosidade – que permite que seres tão especiais tenham uma passagem curta por esse planeta complicado?

Estamos chocadas porque vimos a ascensão meteórica de uma pessoa brilhante, em um terreno tão complexo como é a comédia, sendo dos primeiros a nos fazer rir sem usar aquela antiga fórmula desgastada de piadas cheias de preconceitos.

Crescemos assistindo Chico Anysio e Jô Soares, Os Trapalhões e Agildo Ribeiro, e sem diminuir a importância de todos eles, sabemos que  esse humor antigo hoje seria impensável.

Aí surge Paulo Gustavo: irreverente, transgressor, inquieto e provocativo, trazendo para as telinhas personagens caricatos que justamente nos fazem questionar os nossos preconceitos arraigados.

Ele escancarou a homofobia, abominou o racismo, questionou as referências de gosto duvidoso.

Colocou em Dona Hermínia todo o peso que Déa Lúcia, sua mãe transgressora como ele, com certeza teve em sua infância.

Lotou teatros e cinemas – foi a maior bilheteria nacional da história – com essa mulher desbocada de bobes e avental, mãe das antigas, e que fala em chinelada sem pudor ao mesmo tempo que traz pra gente um conforto de infância, como a certeza de sermos amados.  

Eu tive uma mãe que jogava chinelo pelos ares e se virava do banco do motorista, com o carro em movimento e com o tabefe pronto, para bater em quem estivesse ao alcance. Quem nunca?

Dona Sonia quebrou alguns pratos na mesa no auge das brigas de irmãos, e também saiu correndo gritando pela casa angustiada por ter que controlar nove filhos. E como Dona Hermínia, ameaçou fazer as malas e nos deixar, os filhos ingratos. “Não quero essa porta fechada” já foi daqueles bordões que ouvimos muito.

“Não vai porque não” também era um clássico. Alô Déa Lúcia.

Será esse o motivo da nossa empatia por essa personagem que já virou uma lenda?

Eu também tenho um amigo bem Aníbal, daqueles que falam  as verdades na cara. Aliás, na minha opinião de mera fã, o melhor personagem de Paulo Gustavo.

Quem assistiu os dois “Minha Vida Em Marte” sabe do que estou falando. A sensação que se tem é que Aníbal é Paulo Gustavo: aquele amigo que desce com você até o fim do poço e que, mesmo tendo pânico de água, entra no mar ao seu lado paramentado com roupa de mergulho, porque morre de medo de água viva. 

A cena dos vibradores é impagável – coloquei aqui um trecho do link do YouTube – e fico pensando o quanto Monica Martelli deve ter se divertido nas filmagens.

Eu chorava de rir, voltando a cena zilhões de vezes só para ver Paulo Gustavo dando beijinho de tchau naquele vibrador meio distópico.

Volto agora a um assunto sério. A generosidade desse artista me tocou profundamente quando, na efervescência da morte de George Floyd, em maio do ano passado, Paulo Gustavo cedeu seu perfil – com mais de 10 milhões de seguidores na época- para que Djamila Ribeiro nos desse uma aula sobre racismo estrutural.

Sério: quem alguma vez fez isso? 

Djamila Ribeiro assumiu por dois meses o perfil de Paulo Gustavo e brilhou. Mais um ponto pra ele. Tocou fundo nessa ferida no auge da pandemia.

Precisa falar mais alguma coisa? Eu aqui ainda me questiono os desígnios divinos ou astrais que arrancam uma alma antiga do nosso convívio e levam para outra dimensão.

Um dia talvez a gente descubra.

Enquanto isso, só nos resta assistir “on and on’ esse legado magnífico que ele deixou.

E orar por essa mãe, amigos e família, que com toda certeza estão despedaçados.

Vai em paz, meu querido. As outras dimensões merecem você.

1 Shares:
6 comentários
    1. Linda demais tua homenagem! Devastada com essa Perda! Acredito que deve ter um lugar muito especial pra pessoas de luz irem quando saem daqui. Espero!! 🙏❤️

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar: