Será que você já esteve no limbo menopáusico?
Ficou atordoada em meio à tantas mudanças que achou que tinha se perdido de si mesma? Foi parar lá meio que de solavanco ou arrasto? Seu corpo e seus ciclos se despediram, ou melhor, nem te avisaram que estavam partindo em definitivo? Eles costumam fazer isso… E eles partem mesmo… Esse é o jeito deles…

E poder ser que você não tenha se preparado para tal viagem e se veja pegajosamente grudada em novos fatos. E está habitando terras estranhas e áridas e pode pensar que isso é só com você! E você preferiu não querer pensar e falar sobre a sua menopausa ou a chegada dela em sua vida. Tudo bem!

“Prefiro não falar sobre isso ou ainda… não fale sobre isso perto de mim” – disse ela. E ficou amortecida segundos após um de seus escaldantes fogachos, que agora era parte de seus dias e noites. Era o terceiro do dia. O suor na dobra do braço era o que mais a irritava. O suor como um todo, o suor que não dependia mais dela era o que mais a incomodava. Seu banheiro era agora o seu refúgio pós-estrogênio. Sua bolha menopáusica quentinha escolhida estrategicamente por conta do espelho de parede a parede no qual ela tentava se encarar e se entender todas as manhãs.

Ela não queria entender nada, ela queria seu sangue mensal de volta, ela queria sentir vontade de prazer sem dor de volta! Ela queria retomar o controle do seu corpo. Ela tinha 43 e não estava nem um pouco a fim de se preparar para algo que já estava acontecendo dentro dela há um bom tempo.

Eu já estive no limbo menopáusico. Fiquei uns anos lá. É pegajoso, rançoso e muito solitário. Tudo já mudou e você continua num emaranhado embaraçado de conceitos e ideias rasas. Tudo isso, mas principalmente solitário.

Se sua menopausa te carregou para terras estranhas, você não está sozinha! Pode ser o começo de uma grande aventura e eu vou te falar mais sobre esse roteiro por aqui e nas próximas publicações.

E se você ainda permanece lá, tudo bem! Não quer dizer que não se importe, quer dizer talvez que a aceitação da sua menopausa ainda não comungue com a sua compreensão, com a sua vaidade, com o seu momento de vida, com o olhar do outro ou com a perda do seu domínio reprodutivo, que é apenas um de seus tantos poderes!

Mas eu preciso te contar, que na hora em que você resolver sair desse lodo do limbo menopáusico, pode querer iniciar uma transição linda em seu corpo e em sua mente, mesmo absorvida por um turbilhão de sintomas e sentimentos. E é sobre isso que pretendo conversar com você por aqui!

Perder o rumo pode ser a nossa única alternativa na vida para se achar novamente! Viver a mudança pode ser a única forma de libertarmos a nossa essência feminina. E se perder no início e procurar o caminho do equilíbrio pode ajudar a nomear nesse novo mapa terras mais acolhedoras para nós e para as próximas menopáusicas!!

E você pode se descobrir mais gestora de seus ciclos, mais aventureira em seu prazer, com a localização exata do seu desejo e do seu olhar para si mesma! É o chamado do seu corpo e da sua história para um novo despertar de cuidados, de autoconhecimento e de uma nova partilha com você a nova mulher sábia que agora quer habitar em você! Abra espaço no seu mapa para
ela!

Até o próximo!
Beijos Menopáusicos
Dani Chyla – @antesdoscinquenta

2 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Saiba Mais

Órfã

Encontrei um bairro inteiro às escuras, depois que saí da sua casa. Da guarita, o porteiro me informa…
Saiba Mais

Picada na veia

2021 sem Réveillon nem Carnaval. Não sei lidar. Neste ano vai ser uma corrida pela imunização e o…
Liberdade
Saiba Mais

A liberdade do desejo

Título contraditório, já que o que não temos atualmente é a nossa tão querida liberdade. Hoje, nos restou o desejo de tê-la.