Imagino que o que aconteceu comigo deve ter acontecido com várias de vocês: repetir, meio atordoadas, com o médico: peri o quê?

Mas é neste momento que começa uma etapa cheia de altos e baixos (e com um montão de mudanças).

Perimenopausa significa “em torno da menopausa” e refere-se ao período no qual ainda menstruamos – de forma irregular – e que nos prepara para a menopausa, que marca o fim de nossos anos reprodutivos.

Aviso de quem está passando por ela (eu, Miriam): apenas a reprodução vai terminar. Não termina a diversão. Nem o desejo. Nem os projetos. Perimenopausa é apenas a transição para a menopausa. Nada mais.

Não é simples. Cada corpo é um corpo e cada mulher passa por esta etapa de uma forma diferente.

Podemos entrar na perimenopausa em diferentes idades. Em alguns casos, você já pode notar sinais da chegada da perimenopausa, como irregularidade menstrual, por volta dos 40 anos. Para algumxs, as mudanças aparecem aos 30 (o que é chamado de menopausa precoce, mas isso é assunto para outro post).

Menopausa

Mas o que exatamente acontece conosco?

O nível de estrogênio, um dos principais hormônios femininos, aumenta e diminui de maneira irregular. Nossos ciclos podem aumentar ou diminuir, e começamos a ter ciclos menstruais nos quais os ovários não liberam um óvulo.

Graças a essa “gangorra” hormonal, podemos experimentar, durante o período, sintomas como ondas de calor, (os famosos fogachos), angústia, aumento de peso, problemas de sono e secura vaginal.

Um lindo passeio pelo bosque.

Mas, diferentemente da menopausa – que ocorre quando passamos 12 meses consecutivos sem ter o período menstrual (nem uma gota) – os sintomas, assim como o período, vêm e vão.

Menopausa

Entao vamos falar sobre as “estrelas” da perimenopausa: os sintomas

Durante esta transição, existem algumas mudanças sutis e outras nem tanto. Algumxs podem experimentar todos os sintomas, outrxs alguns e algumxs poucxs sotudxs nenhum. Estudos indicam que 75% das mulheres têm algum sintoma durante esta etapa. Os mais comuns são:
períodos menstruais irregulares, ondas de calor (fogacho) e problemas para dormir, alterações de humor, declínio da fertilidade, alterações na libido, perda óssea e alterações nos níveis de cholesterol. Não são os únicos sintomas, mas são as mais relevantes.

Períodos menstruais irregulares
Como a ovulação se torna mais imprevisível, o tempo entre um período e outro pode ser maior ou menor. Além disso, o fluxo pode ser leve ou abundante, e é possível que às vezes você não tenha diretamente o período menstrual por vários meses seguidos… e que depois “ele” volte como se nada tivesse acontecido.

Interessante: se houver uma alteração persistente de sete ou mais dias na duração do seu ciclo menstrual, pode ser que você esteja entrando na perimenopausa. Se passarem 60 dias ou mais entre um período e outro, de forma continua, é provável que você esteja terminando a perimenopausa. E você? Em que estágio você está?

Ondas de calor (fogachos) e problemas para dormir
Os fogachos estão entre os sintomas mais conhecidos da perimenopausa. As estatísticas nos dizem que 75% de nós sofrem de ondas de calor de diferentes intensidades durante esse período. Sua intensidade, duração e frequência geralmente variam. Os problemas do sono geralmente são causados pelos calores ou pelos suores noturnos, mas, às vezes, o sonho se torna imprevisível, mesmo sem eles.

Alterações de humor
Durante a perimenopausa, podemos experimentar mudanças de humor, irritabilidade e até aumentar o risco de depressão (devo confessar que ainda não sei se é perimenopausa ou a própria vida, mas ando me sentindo muito pra baixo …). A causa dessa TPM eterna? Nossos amigos, os hormônios, em especial o estrogênio. Alterações associadas a ele podem causar alterações de humor. Também os outros sintomas como as ondas de calor (fogacho) podem alterar o nosso humor. Tudo soma….

Problemas na bexiga e na vagina
Quando os níveis de estrogênio diminuem (sim, estrogênio novamente …), os tecidos vaginais vão perdendo a lubrificação e a elasticidade. Isso faz que muitas vezes o sexo se torne incômodo, e para algumas mulheres até doloroso. Os baixos níveis de estrogênio também podem nos tornar mais vulneráveis a infecções vaginais e a perda do tônus do tecido dos tecidos pode contribuir para a incontinência urinária (seguem as “notícias”…)

Declínio da fertilidade
É vox populi que, à medida que a ovulação se torna irregular, nossa capacidade de conceber diminui. No entanto, enquanto você tiver períodos menstruais, ainda é possível engravidar. É muito importante estar vigilante para evitar uma gravidez na perimenopausa. Os métodos contraceptivos só podem ser suspensos quando tiverem passado mais de 12 meses contínuos sem menstruação. E quando falamos de menstruação, qualquer gota conta!

Alterações na libido
Durante a perimenopausa, o desejo sexual pode mudar. No entanto, se sua vida sexual tiver sido satisfatória antes da menopausa, provavelmente continuará assim durante e após a perimenopausa (finalmente uma boa). É só uma questão de se adaptar aos novos tempos. Exatamente. Para muitas mulheres a única mudança é a necessidade de um pouco mais de estimulação. Na perimenopausa, mais tempo quase sempre significa melhor sexo.

Perda óssea
Com a diminuição dos níveis de estrogênio, começamos a perder massa óssea mais rapidamente, o que aumenta o risco de osteoporose (doença que causa fragilidade dos ossos e é conhecida como “a doença silenciosa”, já que sua evolução não causa dor). É importante estar muito atenta com este sintoma. Como não “se sente”, tendemos a não priorizar …

Alterações nos níveis de colesterol
A diminuição dos níveis de estrogênio pode causar mudanças desfavoráveis nos níveis de colesterol. Uma dessas mudanças é o aumento do risco de desenvolver doenças cardíacas. Ao mesmo tempo, o colesterol nas lipoproteínas de alta densidade (HDL, colesterol “bom”) diminui em muitxs de nós.

Pois é, um monte de detalhes que vamos aprofundar ao longo do tempo nas matérias do site. Porém, o mais importante é estar informadas para poder transitar esta etapa da melhor maneira possível.

Importante: as mulheres que entraram na menopausa por uma cirurgia ou estão atravessando uma menopausa induzida (por medicamentos) pulam esse estágio (a perimenopausa) diretamente. É o que dizem os médicos. Alguma de vocês passou por isso? Gostaria de compartilhar suas experiências? 

25 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Saiba Mais

Quero mimos!

Oi gente!  Já há uns dias venho pensando como começar as dicas de hoje, e apenas uma idéia…