Qual a imagem que lhe vem à cabeça quando você pensa numa mulher que entrou na menopausa?

A cena descrita abaixo realmente aconteceu.

A minha era a seguinte: uma mulher mais velha, sentada à frente de uma janela, num dia frio e essa janela totalmente escancarada, lançando um ar muito gelado sobre ela e chegando até mim, que também estava naquela sala e olhava espantada para aquela cena.

A mulher, que antes se abanava, agora recebe aquele ar gelado no seu rosto e no seu colo e parece que se alivia, ameaça até um sorriso. Um sorriso solitário, que eu só entenderia tempos depois. As outras pessoas na sala fiquem incomodadas com aquele vento gelado que entra pela janela.

Aquela mulher logo parece “se acalmar” e fecha rapidamente a janela, pois parece que saiu daquele transe gélido e percebeu que está com frio. Ela usa uma camisa de seda fina enquanto todos os outros na sala estão agasalhados. Ela se vira e como se nada tivesse acontecido, volta ao convívio de seus familiares. Esse fato se repete mais algumas vezes naquele dia.

Essa era a imagem que eu tinha de uma mulher “na menopausa”. Gostaria de ter conversado com essa mulher para entender como estava se sentindo e que tipo de acolhida ela esperava receber dos outros, além dos olhares de estranheza!! Um desses olhares era o meu e eu não vou me culpar disso agora. Gostaria apenas de ter ouvido dela como estava lidando com tantas mudanças, pois sua fala com certeza traria alguma serenidade para mim mais tarde ou, quem sabe um motivo para eu buscar mais informações, do que apenas tentar entender tudo de dentro do meu banheiro.

 Não demorou muito para que eu me tornasse essa mulher estranha que procurava a maior janela ou que queria sentar estrategicamente bem, mas bem embaixo do ar condicionado. Era uma preocupação entrar num restaurante e já ficar procurando a mesa ao lado da janela ou o local mais fresco, para que eu pudesse suar à vontade e aproveitar o momento. Mas ninguém sabia que eu estava à procura do local menopáusico perfeito.

E por falar em MENOPÁUSICO/MENOPÁUSICA, vocês vão encontrar muitas vezes essas palavras em meus textos. Elas serão usadas carinhosamente para definir esse ciclo. Não representam literalmente a etapa em que cada uma de você estão, mas isso é assunto para mais tarde. 

Eu não queria suar na frente das minhas amigas, não queria ter que explicar para elas o motivo de eu estar vestindo uma blusa de alças num dia gelado. Eu não queria ter que dizer que meus ovários faliram e que eu talvez decidisse comprar um leque e o levaria na bolsa para todos os lugares. Eu só queria entender o motivo de eu ter que viver isso aos 43 anos e, mais, como eu ia viver isso aos 43 anos??? Pode ser que você tenha sentido algo parecido e pode ser que não se sinta à vontade em falar. Eu te entendo em ambos os casos. A gente leva um tempo para gestar tudo isso!!!   

Mas devo esses pensamentos ao meu desconhecimento, pois durante muito tempo depois eu continuei marinando um silêncio em relação a ela. Não estava à vontade comigo mesma e diante de outras mulheres que eu convivia e que pareciam tão preenchidas de frescor e colágeno. Ou era eu que estava me enxergando de uma maneira totalmente distorcida? 

Você pode ter uma cena similar em sua cabeça ou já pode estar tendo a sorte de viver esse momento com mais informação e empatia. Pode ser que você imagine que isso está ainda longe de acontecer com você e pode ser que você nunca precise procurar uma janela para exorcizar um fogacho. O importante é que você tenha poder de escolha e de informação para viver o seu climatério com toda a qualidade de vida que você merece. E se você chegou aqui, imagino que queira !!!! É o que te desejo!

Beijos menopáusicos!       

Cada corpo uma história.

Cada corpo uma menopausa.  

0 Shares:
3 comentários
  1. Texto maravilhoso. A minha está chegando agora, mas a minha imagem perfeita é mergulhando num mar gelado, onde todos estão molhando os pés na beirinha da ÁGUA, Enquanto estou feliz com aquele mergulho, e saindo inteira do mar.

  2. Muito bOa publicaÇão!!! Entend muito Bem de tu isso, pois no meio tempo nem se falava no aSsunto. Essas informações são muito preciosas para que a mulher bão se sinta a única Quando vive esse momento. Parabéns a dany.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Mãe
Saiba Mais

Mãe

Mal sabemos que a montanha-russa de emoções da gravidez passa ser parte da nossa vida desde o primeiro dia em que sabemos que vamos ser mãe.