É engraçado: quando a gente começa a pesquisar sobre um assunto que ainda é tabu, toda semana aprende alguma coisa nova. Por exemplo, você sabia que entre 75 e 80% das mulheres na menopausa (tanto peri como pós) – ou seja, eu e milhões de outras mulheres no Brasil – experimentam sintomas (sim, apenas 20% têm a sorte de não terem que lidar com eles)?

E você sabia que alguns deles estão relacionados à saúde bucal, como retração gengival, síndrome da boca ardente ou doenças periodontais?

Eu não sabia. E, aparentemente, nem meu dentista. Por isso, a descoberta aconteceu da pior maneira.

Na semana passada, fiz o meu controle anual. Estava tranquila, até descobrir que em apenas um ano a minha boca tinha se transformado em um desastre.

Vamos colocar em contexto: eu tenho seis implantes, além de várias coroas. Nada incomum. Porém, entre os sintomas da minha perimenopausa, tive uma retração de gengiva, o que permitiu que bactérias os afetassem. E, olha, elas fizeram a festa!

Resumo: vou ter que enfrentar um tratamento longo e caro. E quando pergunto para o dentista que me atendia há 20 anos por que ele não me avisou que isso poderia acontecer, a resposta foi hilária: como vou falar com você sobre menopausa?

Eu quase o matei. Perguntei: e agora, quem paga por esse estrago?
Mas eu já saiba a resposta: a menopáusica aqui, é claro.

De qualquer forma, vamos aproveitar para falar um pouco sobre isso para que outras mulheres que também estão atravessando essa etapa possam que isso aconteça.

Segundo outro dentista que consultei e minha ginecologista, a origem de tantos problemas é a relação entre a mucosa oral e os hormônios femininos. Essa mucosa é semelhante a vaginal na resposta às mudanças do estrogênio. Por isso a boca é bastante afetada pelo desequilíbrio hormonal desta fase. Só que ninguém fala sobre isso.

A responsabilidade de conversar com a gente sobre o efeito da menopausa na boca não deveria ser só do dentista. O ginecologista também teria que nos perguntar sobre como está nossa boca – principalmente se temos mais de 45 anos – e nos aconselhar a conversar com o dentista sobre isso. No meu caso, isso não foi feito por nenhum dos dois profissionais…

De fato, sugiro que caso sua boca seja complicada como a minha, você comece, a partir dos 40 anos, a conversar com eles sobre isso.

Outra questão que eu não sabia é a relação direta entre doenças periodontais e osteoporose. Ou seja, a osteoporose não afeta apenas o quadril, braços e pernas, mas também a mandíbula.

E a cereja do bolo: na menopausa a gente está mais exposta a perder dentes! De acordo com um estudo da Calcified Tissue International e Musculoskeletal Research, existe uma relação entre a perda dentária e a óssea, o que faz com que o risco de perda de dentes aumente mais de quatro vezes durante a peri e a pós-menopausa.

Então …
Com base na nossa experiência, a gente recomenda que, se você estiver se aproximando da perimenopausa, preste mais atenção à sua boca, pois prevenir é sempre melhor do que remediar.

A nossa boca tem a idade do nosso RG. Ou seja, mesmo que sua atitude “não pareça”, você deve observar o “calendário biológico” e conversar com o seu dentista.

Essa experiência nos mostrou que falta muito para que médicos e dentistas estejam alertas para as mudanças que a menopausa pode causar no nosso corpo.
E agora também está em nossas mãos ajudar a mudar isso!

Se alguém ficou curioso: eu mudei de dentista, estou fazendo tratamento e, quando terminar, mostro pra vocês um “antes e depois” no site.
Mas agora, a gente gostaria de conhecer outras histórias. Isso também aconteceu com você?

2 Shares:
6 comentários
  1. Meninas a QUESTÃO bucal é novidade para mim nao tinha a minima NOÇÃO e pior ainda saber que A maioria dos dentistas tambem Não , como diz uma amiga na meNopausa cada dia é uma novidade só falta nascer um rabo nas mulheres 😩

  2. Miriam gratidão por falar sobre, porque estou na menopausa já há algum tempo, corro atrás de reposição não o fazem porque tenho muitos casos de câncer na família, mas ainda tenho sintomas como fogachos, mal estar , mudança de humor, entre outros conhecidos e problema buca, e na minha ultima ida ao dentista questionei sobre a relação da menopausa com o que tenho sentido de diferente como boca ardendo, sensibilidade e retração…mas falou que não tem nada a ver…agora vejo que não estou pirando rsrs… não quero fazer da menopausa e o processo de envelhecimento um vilão quero somente qualidade de vida, tratar o que pode ser tratado…Obrigado

  3. Olá Miriam, sou dentista a mais de 3 décadas e conheço a menopausa no próprio corpo. Meu foco de trabalho é o sorriso para o grupo 40+.
    Fazemos parte de uma geração que está criando um novo estilo de vida. O modelo que recebemos são pessoas vivendo mais anos com mais saúde , estamos acrescentando prazer, criatividade e produtividade enfim jovialidade. Estamos mostrando que nosso mundo é maior que nossa idade.
    Infelizmente você está passando por um problema muito desagradável e felizmente encontrou um caminho para lidar.
    Meu objetivo, aqui, não é falar sobre seus problemas dentais. Colocarei meu olhar, resultado de experiencia e conhecimento.
    A menopausa é um processo natural de envelhecimento
    Nossa boca além de nossa idade reflete a cultura que vivemos, o quanto durante toda nossa vida valorizamos a saúde bucal, a evolução da ciência e a sorte ou azar na escolha dos profissionais que nos cuidaram.
    A menopausa não é a única vilã no processo de envelhecimento de nossa boca, ela sim, é poderosa em exacerbar problemas pré existentes.
    Espero que estas palavras lhe ajudem a entender esta fase que está passando

  4. Olá, Miriam
    Que bom ler sobre isso. Cheguei a achar que estava louca rsrs
    Meus dentes começaram a quebrar, na perimenopausa e, hoje, depois de uma conversa com uma dentista bem jovem e atualizada, descobri que está situação é mais comum do que imaginamos
    Minha boca tem a idade do meu RG, embora eu não me sinta assim
    Muito OBRIGADA

  5. Adorei, Miriam. NInguém fala sobre essa questão e ela é super importante!!! Ah, sabia que usar aparelho ou alinhador nessa fase que atravessamos pode ser positivO? Descobri por acaso, conversando com Uma dermato sobre meu uso recente de alinhadores. Ela contou que ajuda a criar nova massa óssea, deixando os dentes mais fortes nessa etapa de perdas. Achei muito interessante! Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Saiba Mais

Simplificando o skincare

Quando falamos em skincare já pensamos em uma sequência sem fim de inúmeros produtos. Mas isso nunca funcionou pra mim. Tem que ser prático!