Na semana passada, a maioria de nós estava ansiosa esperando para ver como nossas “amigas” Carrie, Charlotte e Miranda haviam amadurecido. Claro que também existiam altas expectativas em relação ao figurino do novo “And just like that”. Como o guarda-roupa delas, principalmente da Carrie, estaria hoje?

Mas confesso que Nova York, talvez tão protagonista quanto as atrizes, também estava no meu radar… Como seria a cidade vivida por elas hoje na maturidade? Elas voltariam ao Pastis, onde eu mesma já tomei incontáveis Cosmopolitans, só para me sentir um pouco mais próxima daquela vida intensa, que marcou anos de grandes emoções e aventuras amorosas que tínhamos em comum?

And just like that

E o apartamento da Carrie, com montanhas de roupas saindo para fora dos armários onde tantas vezes a vimos sentada na janela com o laptop, escrevendo sobre a história da vida de todas nós? Como ela estaria vivendo nesse momento de vida ao lado do sofisticado e elegante John?

Mas confesso que o cenário que mais me chamou atenção na “nossa” antiga nova série “And just like that” foi, de fato, o apartamento do nosso dream couple. Como eu não imaginei isso? Cada ângulo, cada estante, cada papel de parede foi um suspiro!

Acho que desde a infância, assistindo as casas do núcleo rico da novela das 8 da Globo, não sentia nada tão aspiracional. Óbvio, os personagens com qual nos identificamos tanto há quase 20 anos estavam ali: casados, felizes, maduros, cozinhando, bebendo um vinho e ouvindo música juntos e em um apartamento dos sonhos em Manhatan! Hello? O que pode ser mais aspiracional que isso?

And just like that
Quarto de Big e Carrie

Foram tantas emoções que ontem resolvi fazer sessão reprise, parando, observando, anotando os detalhes que normalmente reparo por causa da minha profissão. Babei outra vez no revestimento em cima da bancada da cozinha com eletrodomésticos lindos e a pequena ilha aberta para sala. O banheiro com acabamento escuro em contraste com o mármore, o gabinete ripado e filetes dourados marcando as passagens… os metais, a pequena academia! As cortinas de tafetá de seda e os papéis de parede (de novo!).

Até arrisquei desenhar um croqui de como a planta seria dividida com a estante arredondada acompanhando o formato do hall central que faz a ligação dos ambiente, e onde ela escreve da mesinha enquanto observa Big ler jornal na cama. E como é valiosa uma iluminação cênica e dramática iluminando os pontos certos? Que apartamento!

And just like that

Descobri,com os designers responsáveis por trazer a personalidade e os elementos da vida dos personagens para os cenários, quais as inspirações da estética da série. Basicamente, eles usaram o intervalo real de 12 anos desde o fim de “Sex and the City” para criar o décor de cada uma das casas, apartamentos e ambientes que aparecem ali. Afinal, nossos gostos mudam de quando temos 30 para 50 anos.

Os filhos estão crescendo, e enquanto na casa da Miranda tem um quarto típico de adolescente onde parece que uma bomba recentemente explodiu, a decoração do quarto das filhas da Charlotte sofre certa pressão por não condizer com a idade atual delas. Além de indícios de eletrônicos que não faziam parte da decoração, para fazer uma associação a recente pandemia e ao tempo que ficamos dentro de casa, os designers queriam deixar mais bagunças das meninas espalhadas, mas Kristin Davis falou que Charlotte as faria arrumar.

Quarto de Lilly e Rose, as filhas de Charlotte

Sobre o apartamento da Carrie e do Big, diferente de onde eles iram morar no segundo filme (não esqueço aquele closet!) que era muito mais masculino e austero como Big, esse está muito mais equilibrado entre a personalidade dos dois personagens. Eles trouxeram inclusive algumas peças de mobiliário de ambos e encontraram o mesmo papel de parede da sala do primeiro apartamento para repetir nesse. O que não mudou, definitivamente, foi o closet dela! De resto, imaginando que as pessoas irão (tentar) repetir a decoração e o design em suas casas, os designers disseram que nada ali foi customizado, e que escolheram objetos que podem ser encontrados similares em vários níveis de preços como os papéis de parede e as cortinas de tafetá.

Eu como profissional, definitivamente não acredito que é um ambiente fácil de reproduzir por um baixo custo, mas que é inspirador, sem dúvida.

Spoiler: aguardem porque tem mais emoção para a gente relembrar e se inspirar nos próximos episódios quando Carrie volta no seu antigo apartamento.

3 Shares:
1 comentário
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Liga
Saiba Mais

Ninguém liga para mim

A maneira antiga de nos conectarmos não volta mais. Ninguém mais se liga. Ainda aguardo o retorno de uma amiga, mas ela respondeu com áudio.
Amortecimento
Saiba Mais

Amortecimento

Ainda me lembro da forte sensação de amortecimento pela qual fui banhada do topo da cabeça ao dedão do pé ao ouvir: “Você está demitida”.