O verão chegou com tudo no Rio e com ele os arrastões e as tempestades cariocas. Tô zoando. Mas aqui vai uma listinha do que mais bombou na cidade nesse ano que vai ficando para trás

Se você é carioca, confirma aí. Se não é, saca só…

  • Sommeliers de vacina. A cariocada só queria Pfizer. Era como um status no braço. Eu pobrinha, comecei com AstraZeneca, tive um rebaixamento para Coronavac e acabei com a dita cuja Pfizer no braço. Cá entre nós, vacina no braço e comida no prato foi o melhor slogan da temporada.
  • Juliette. Não posso mais ouvir falar nela nem em Gil da Vigor. Achei que o tema seria ainda Anitta, Ludmila, mas os desconhecidos viraram onipresentes. Ô, égua!
  • Choramos tudo com a passagem de Marilia Mendonça. Eu e minhas amigas de Ipanema só cantamos “Meu cupido é gari, só me traz lixo”. Vai fazer falta
  • Minisséries. Se a bunda ficou grudada em 2020, esse ano o sofá ganhou status de consultório psiquiátrico. Curei minhas neuras ou piorei de vez com Maid, Cenas de um casamento, Nove desconhecidos, Round 6 e Sex and the City. Deram o que falar
  • Na mesma proporção em que a miséria explodiu no Rio, muitos restaurantes abriram. Ipanema virou praça de alimentação com seus novíssimos e bons lugares para comer. Spice Fish, Babbo Osteria, Talho Capixaba na praça Nossa Senhora da Paz viraram minha cozinha. No Leblon, Boteco da Rainha. E ainda abrirão Jappa da Quitanda, Qtan e é claro, muitos paulistas que invadirão nossa praia. Faço gosto.
  • Praia? Sim, deu praia. Biquínis iguais as máscaras. A volta das rodinhas de conversas ao ar livre. Muita maconha e cuba libre. Um ar nostálgico anos 1970.
  • Búzios virou Saint Barths. A cariocada voltou ao balneário. Um must o ano todo
  • Já as casas de aluguel na serra ficaram trilhardárias. Preço de Mônaco. A serra ganhou um certo ar paulista com carrões, mulheres emperiquetadas e muita recepção com garçom. Curto não. Prefiro a serra das cachoeiras, das macumbas e oferendas. Vai entender.
  • E para os endinheirados, esses foram para várias pousadas no entorno. Ibitipoca virou destination. Casa Marambaia o lugar das recepções e muita mansão de milionário falido virou locação para eventos mindfullness. Aliás, se não viramos Buda, perdemos o bonde. Foi tanta experiência de cura, abraçar arvores, ligar à fêmea ao feminino…. Cansei.
  • Vibrador = escova de dente. Toda mulher que se preze tem agora o seu. Shape, cor, tamanho taylor-made para todos os buracos. Salvou o ano

E eu já ia me esquecendo…

Feliz ano novo… Lula lá (brincadeirinha…)

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Saiba Mais

Que mundo é esse?

Hoje eu pedirei uma licença para a positividade. Não dá para ser sempre good vibes com esse mundo de cabeça para baixo, né?