Tô há tempos pra escrever sobre uma live que eu participei kazamiga desse site. A gata, do outro lado da tela, sai com essa pérola: me colocaram num grupo de zap batizado Repescagem. Só com homens horizontalmente disponíveis. Como assim?

É leitora… é isso mesmo. Enquanto temos grupo de conversas reunindo família, trabalho, galera da academia, igreja, condomínio… criaram em São Paulo um grupo para içar, em momentos oportunos, gatinhos e gatões a fim de um rolo no novelo. Justo. Justíssimo diria.

Ali no grupo todos sabem que podem contar (seria esse o verbo?) com a ajuda alheia. Nada complicado. Basta uma mensagem e formou. Tipo delivery só que com a certeza do gosto de cada comida.

O Jorge, por exemplo, é de comer rezando. O Matheus, fastgood, aquela rapidinha. Silvério, ah esse requer expertise de mil talheres pois antes da orgia, convoca um fausto intelectual. Já o Fred, atlético, cheiroso, hedonista, é puro prazer, mas um auto prazer. Ele se come enquanto você acha que está interagindo.

E nessa nova forma de comunicar o sexo, elencado quase num aplicativo de tipos variados, eu celebro a tecnologia. Quando vem uma mensagem neste grupo todos sabem o manual de conduta e seguimos assim, descomplicando. Claro que antes tem convites pra festas em casas de desconhecidos; almoço de domingo reunindo pessoas aleatórias; viagenzinhas curtas – no weekend – com gente de interesses afins.

Não é putaria. É clubinho, gueto, seita, tribo. O objetivo final é acasalar, mas no meio disso tem muito gin, troca de experiências, altos papos. Na maturidade é um achado. Para que tanto salamaleque? Se você quer sexo, só sexo, aqui é seu lugar. E não gostou da oferta? Troca. O que pode ser um horror pra você , serve pra outra amiguinha. Acho que vou criar a versão carioca. As mina balzaca de Copa, Ipanema e arredores vai pirar.

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Você se come?
Saiba Mais

Você se come?

Fazendo um balanço sexual no Dia dos Namorados, pergunto: você se come? Pelada na cama, sozinha, com ele ou ela, você se entrega aos desejos?
Encontro
Saiba Mais

Encontro n˚ 1

Meu primeiro encontro depois de 20 e tantos anos. Blind date. Uma colega de trabalho me incluiu numa conversa fiada de whatsapp com um amigo.
Leila
Saiba Mais

Leila

Em uma aparição surpresa nesse site, vamos acompanhar um dia normal na vida de Leila. Seria esposa ou prostituta? E quem pode a condenar?
Nelson Rodrigues
Saiba Mais

Nelson Rodrigues e eu

Esses homens cariocas babões, com seus Viagras nos bolsos, deixam suas mulheres –em sua maioria da mesma idade– e vão gozar pela cidade...