Hello turma!!! Quero compartilhar com vocês os livros que passaram no meu radar nos últimos tempos. Se ler é ter a oportunidade de viver muitas vidas, eu, como geminiana curiosa e que detesta monotonia, mergulho fundo nessa experiência maravilhosa. Recentemente li dois clássicos da literatura universal, de fácil leitura, que podem animar quem quer começar a desbravar esse mundo mágico.

O primeiro deles é “O eterno marido” de Fiódor Dostoiévski. Um romance curto, com uma trama perfeita, que surpreende do começo ao fim, com pitadas de humor e suspense. Como o próprio título sugere, o eterno marido é a figura do homem que é incapaz de viver fora de sua condição marital, independentemente das circunstâncias. Gira em torno do adultério feminino, um tema para lá de moderno, considerando que o livro foi escrito em 1870. Para quem não quer se jogar no volumoso “Crime e Castigo”, esta obra é uma ótima escolha.

O segundo clássico é “Crônica de uma morte anunciada” do meu queridinho Gabriel Garcia Marques. Também é um romance enxuto, sobre um acontecimento ocorrido em uma pequena cidade, que aborda o tema das casualidades e fatalidades que permeiam a existência humana. Uma pérola imperdível de Gabo.

Como é sempre bom diversificar o repertório, o terceiro livro que li e amei foi “Baratas” da Scholastique Mukasonga. É um relato autobiográfico em que a escritora ruandesa escreve de maneira corajosa e sem concessões sobre o genocídio dos tutsis pelos hutus, sob o olhar indiferente da comunidade internacional. Baratas era a designação que os hutus davam aos tutsis, que eram humilhados, perseguidos e mortos pela etnia rival. Apesar de tratar de um tema pesado, a escritora abre suas feridas, com muita sensibilidade e delicadeza. Leitura obrigatória sobre uma barbárie tristemente moderna.

Boa leitura, inconformadas e inconformados!!!

0 Shares:
2 comentários
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Liga
Saiba Mais

Ninguém liga para mim

A maneira antiga de nos conectarmos não volta mais. Ninguém mais se liga. Ainda aguardo o retorno de uma amiga, mas ela respondeu com áudio.
Saiba Mais

Agulhadas

E o dia que me esqueceram durante uma sessão de acupuntura, toda cheia de agulhadas no corpo?! Às vezes uma paciente tem que ser paciente...
Saiba Mais

Muito prazer, Renata Rea

Minha história profissional é como um romance: mudei algumas vezes de rumo, larguei tudo para trás e vou contar um pouco para vocês.