Iniciar uma coluna ao lado de tanta gente talentosa foi algo que me surpreendeu imensamente, pois não estava no meu radar de realizações.

Bem, na verdade creio que mirei em um alvo, e o universo me entregou mais. Às vezes ele erra feio se você estiver desorientada e fora do eixo, mas desta vez o pacote veio embrulhado para presente com papel de seda, fita de cetim e muitas outras surpresinhas.

E olha que eu nem estava tão alinhada assim…convenhamos, quem é que está no ápice de sua performance neste exato momento, em meio a pandemia?

Pausa, silencio, respire…  com sinceridade, responda gentilmente para você.

Bom, deixe eu me apresentar. Sou a Marina Martins Meirelles, assino como Marina Mártims (segundo a numerologia, e lê-se Martins tal e qual)

Aos 35 anos, iniciei um mergulho livre e profundo no autoconhecimento, por ter descoberto um buraco emocional deixado pela perda do meu pai que partiu precocemente aos 37 anos, deixando esposa e três filhos pequenos.  Eu, a caçula com 3 anos, não me recordava de absolutamente nada. Prato cheio para a psicanálise.

Casei, descasei, fiz a transição profissional, deixando para trás o jornalismo e guardando no HD toda a diversão e pessoas queridas com quem compartilhei na minha passagem pela MTV, mundo da moda, festas e noitadas mal dormidas.

Já não dava mais esse estilo de vida. Fui mãe aos 32 e via minhas relações frágeis e minha saúde em cheque.

A dor da perda que emergiu tarde me fez abrir gavetas. Das gavetas saíram fagulhas, pontas de agulhas que abriram as portas no meu coração para o Yoga desabrochar. 

Renasci, me encontrei, me perdi e me reencontrei na India, me despedi de vidas passadas e iniciei uma vida presente: a do autocuidado, da autoestima, através do corpo e práticas atentivas.

Essa autoinvestigação fez todo sentido para mim e ressignifiquei muita coisa: meu estilo de vida mudou para muito melhor, curei e resgatei relações, mas principalmente lapidei o meu SER que continua em progresso constante.

Nunca fui uma professora de Yoga comum e sabia que meu caminho seria diferente, pois sempre fui uma outsider.

Cuido dos meus alunos de forma terapêutica, única, e então criei o Nest To Rest. Um Wellness Hub com foco em manejo de estresse baseado em métodos, estudos e pesquisas com base científicas, advindas da Medicina Mente-Corpo e tradições milenares como o próprio Yoga, a medicina Ayurveda e práticas budistas. 

Um pé na ancestralidade, o outro no presente e os dois olhos físicos (mais o terceiro, o espiritual) bem abertos, direcionados para o futuro, me fizeram desejar do fundo do meu coração e da minha alma pessoas e relações que me nutrissem profundamente.

Enfim. 

Covid-19, 2020, o ano que chacoalhou o planeta trouxe muitas lágrimas e muitas mudanças.

A vida me trouxe o segundo casamento e a reconstrução da minha base familiar. 

Um sonho adormecido há mais de 20 anos que enterrei junto a desculpas saltou a minha frente e decidi encará-lo: voltar para a vida acadêmica e estudar psicologia para me tornar uma neurocientista e pesquisar ainda mais os benefícios das meditações como suporte no tratamento da saúde mental.

Desejei muito também conviver com mais figuras femininas, mulheres reais, inspiradoras, que eu me identificasse nessa minha nova fase de vida aos 43 anos de idade, onde a maturidade tem me proporcionado uma perspectiva muito promissora.

Cá estou eu aqui e agora, resgatando a bagagem jornalística e escrevendo para vocês sobre Wellness e autoconhecimento.

Será um enorme prazer compartilhar minhas experiências e a minha paixão pela saúde com vocês, ao lado de mulheres extraordinárias aqui no Inconformidades.

Pausa, silêncio, respire fundo…o universo tem sido legal comigo agora, vai… demorou, mas o correio cósmico atendeu.

E como disse, você pode não estar na sua melhor performance, mas se desejar profundo com a alma e focar no coração, ele te entrega tudo bonitinho. 

Não precisa acreditar, é só experimentar. Pratique e verá!

Sejam Tod@s Bem-vind@s!

0 Shares:
3 comentários
  1. Ótimo trabalho!
    Após perder muito tempo na internet encontrei esse blog
    que tinha o que tanto procurava.
    Parabéns pelo texto e conteúdo, temos que ter mais
    artigos deste tipo na internet.
    Gostei muito.
    Meu muito obrigado!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Saiba Mais

A verdade

Para participar de um concurso de desenhos, eu precisava levar três obras originais e pintar um quadro ao vivo. Porém, eu só sabia copiar!
Respiros
Saiba Mais

Respiros

Sou do tempo em que a solidão era preenchida por respiros iguais a este que tive nessa feliz e ensolarada tarde do meio da semana.