Hello babies!!! Após férias (merecidas!), voltei! Dessa vez com dicas de viagem (e o expert em turismo, meu amigo e colunista do @_inconformidades, @graser_daniel que perdoe minha audácia, por favor rs). Aqui vão dicas de uma viagem incrível, de carro, tranquila, sem muvucas, nem atropelos, se é que vocês me entendem…

Petrópolis e Teresópolis

Peguei a “mochila” e decidi conhecer Petrópolis e Teresópolis, lugares que sempre sonhei ir e ficava adiando há anos!

Sim, nosso país tem muita história! Mas, querendo ou não, a gente sempre escolhe avião, exterior, e deixa nossas belezuras locais pra lá, não é verdade?! Eu mesma faço a minha mea culpa!

A pandemia trouxe isso de bom, e com a ajuda das colunistas do Inconformidades, @colecoes_da_vida, minha estimuladora-mor , amante de trips, como eu, e que viajou comigo à distância, mesmo que só no Whatsapp rs, e do @aceite.vc, lá fui com meu love para uma semana simplesmente incrível! Vem comigo!

Visconde de Mauá
Visconde de Mauá

Saímos de São Paulo, e após quatro horas sem nenhum glamour (juro que procurei e não achei nada charmoso na estrada), chegamos à cidade de Penedo. A ideia era parar para almoçar, mas, com sinceridade, não fez nossa cabeça.

Para quem curte, é como Águas de São Pedro, Lindóia, algo por aí. Decidimos, então, subir a serra para a nossa queridíiiiiissima Visconde Mauá, que eu não visitava há 15 anos!

E, sim, a vila continua a mesma! Aquele lugarzinho que a gente suspira quando chega, sabe?! Visconde Mauá é formada pela vilas de Mauá, Maringá e Maromba, esta última reduto hippie até hoje.

Chocolates Tonttulakki
Chocolates Tonttulakki

Mauá tem apenas uma igreja, um campinho e sua pequenina rua central, repleta de guloseimas caipiras, chocolates Tonttulakki, artesanatos e obras de arte, como as da Galeria de Arte Casa da Vila com os talentos da região e, ebaebaeba, um brechó!!! (Óooooobvio que eu iria achar um por lá, né, gente rs), além da casa dos Beatles, um barzinho com um grande acervo de fotos etc. Muito legal para os fãs. Não é meu caso (não me matem, please, rs).

Lá, fomos ao restaurante @gostocomgosto, premiado por anos (nada cosi cosi, como eu prefiro, vocês sabem, mas estávamos com vontade de uma comidinha mineira boa, de raiz). De lá, recomendo fortemente a cachaça Anis de Santiago (aliás, não sei se sabem, mas eu não sou da vodka, não, pessoal, rs) e também o vinho Alma Única, blend elaborado em homenagem à chef Monica Rangel.

Dormimos em Mauá na @fazendadomel, uma fazenda com apenas sete chalés roots (mas com lareira, banheira hidromassagem e lençol térmico, tá?! rs), espalhados em uma extensa área cuidada com o maior amor pela Jussara e Fernando. Cafézinho com tudo da roça, orgânico e tals, cachoeira, trilha, sauna, tudo na beira do rio. Desligar de tudo é palavra de ordem por ali, até porque nem sinal de celular tem. Thank God!

Restaurante Rosmarinus

Em Maringá, no outro dia, fomos à cavalgada maravilhosa na Fazenda Águas Claras, pelos picos mais altos da região, e depois, ao incrível @rosmarinusrestaurante, também premiado, regado a um ótimo papo e muitas risadas com o Julio, o proprietário, à beira do rio.

Aliás, por onde você ande, aquele som forte e encantador da correnteza e a imagem das gigantescas pedras te acompanham…O que você quer mais?! E Maringá é muito charmosa, com suas duas ruas minúsculas, uma pertence à Minas Gerais e a outra ao Rio de Janeiro, ambas ligadas apenas por uma minúscula e bucólica pontezinha para pedestres, em cima do tal riozão. Demais, não é? Jante em Minas e tome uma cachacinha ou chocolate quente no Rio! Adoro!

No lado mineiro, provamos o strudel maravilhoso do @champignon_restaurante. A dona faz questão de contar a história da receita centenária da Prússia, e nos embala com aquele papinho delícia, que só a roça tem! À noite, curtimos um som ao vivo no @cogumelobistro e visitamos o pequeno e charmoso comércio mineiro: destaque a loja de chapéus Arte e Chapéu, com peças lindas e um magnífico ateliê de velas e cerâmica, a @villamandacaia. Aliás, para meu desespero rs a região é repleta de ceramistas maravilhosos!

Seguindo viagem, fomos à Petrópolis! Terra do Imperador, da natureza exuberante, da serra maravilhosa e do circuito cervejeiro! Optamos por dormir no lindo @hotelsolardoimperio, na Avenida Koeller, repleta de casarões, todos devidamente tombados pelo Patrimônio Histórico (Amém!). Pena permitirem o tráfego de carros, porque eu já teria fechado tudo, feito um grande e lindo calçadão, e no máximo permitiria carruagens , né?! rs. Só pra entrar ainda mais no clima! O melhor restaurante da cidade ficava dentro do nosso hotel: o Leopoldina. Quer coisa melhor?! Esquema Vinho – quarto – relax!

Saindo do centro, almoçamos na fe-no-me-naaaaal @casamarambaia. Essa, pessoal, só entrando no site para entender do que eu estou falando, tá?! Fazenda quatrocentona, cercada pelas montanhas gigantescas da serra, restaurante com menu fenomenal, jardim divino Burle Marx, e muito mais… Affff!

Museu Imperial de Petrópolis

Por lá, ainda valem as visitas ao Orquidário local, à loja de chocolates Katz e Chalé do Chocolate e o tour degustação na @cervejariabohemia, claro! Mas a maior descoberta mesmo foi o @caramelosdangelo, fabricados desde 1946, no maior estilo puxa-puxa. Morri!

Mas aguardando igual criança rs, eu estava era pela visita ao @museu.imperial. Após a extremaaaaa dificuldade para conseguir reservar os ingressos pelo telefone (e é o único modo!), valeu demais a visita! Lindo de morrer, bem cuidado, organizado. Museus trazem essa mágica, né?! De conseguirmos viver outra história em minutos! #pormaisamoraosmuseus! Aliás, #pormaismuseus!

E nessa vibe, também vale a visita à @casasantosdumont. Um gênio! E eu que adoro visitar a casa dos outros e saber como viviam rs, me esbaldo! Ah, e a tal Rua Santa Teresa, só de roupas, não recomendo, não. Achei bem fraca, mas isso é de cada um, tá, gente?!

Casa Santos Dumont
Casa Santos Dumont

Na saída, passamos pela charmosa Itaipava e paramos no fofo @benditoarmazem e na loja de móveis e coisicas pra casa Maria Maria, de um bom gosto incrível! Dica do @aceite.vc.

Ah, vale dizer também que a região é repleta de antiquários! Quase morro, né, gente?! Pra desespero do namorado! Rs. E o que eu trouxe de mudas de plantas, então?! Ahahaha. Um capítulo à parte!

Por fim, Teresópolis. Aí o passeio é pura natureza e o encantamento diante da majestade da Serra dos órgãos! Capital do montanhismo, não dá pra descrever! Gigante pela própria natureza….

Hotel Rosa dos Ventos

Lá ficamos no @hotelrosadosventos e visitamos a @queijosdecabrageneve com a linguicinha caipira mais maravilhosa que já comi e seus famosos queijos de cabra ao som de jazz e jantares com harmonização. Achei chic, rs!

Voltamos uns dias depois maravilhados, recarregados e felizes. Façam isso! Viagem! Mesmo pertinho, e até bate e volta tá valendo! A mente, a alma, o corpo e o coração agradecem!

Tenho muito mais dicas, mas esse texto ficaria ainda maior rs! Podem me escrever lá no meu feed e trocamos figurinhas, tá?! Espero que animem, porque eu já tô organizando a próxima!

Hasta!

0 Shares:
3 comentários
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Saiba Mais

Que mundo é esse?

Hoje eu pedirei uma licença para a positividade. Não dá para ser sempre good vibes com esse mundo de cabeça para baixo, né?