Era domingo de sol e como de praxe fomos almoçar na casa dos meus pais: mamãe começou a fazer o macarrão e meu pai logo foi fazer aquele molho de tomate especial. Conversa vai, conversa vem e o molho queimou. Isso poderia ser algo normal, um acidente talvez, uma desatenção, se não fosse a terceira panela do dia.

Papai sempre foi o meu grande exemplo: homem forte, trabalhador, determinado, cuidava da casa e da família, sempre fez o possível e o impossível para garantir todo o suporte que precisávamos. De repente, depois de bons 78 anos, começou a esquecer a panela no fogo e a queimar comida. E agora?

Esse é um relato de uma paciente querida do consultório, mas que reflete a realidade de muitos de nós, não é mesmo? Com o avançar da tecnologia e da medicina, temos uma geração de idosos que têm vivido mais, e como resultado, temos que lidar com algo que não fomos ensinados: as consequências desse envelhecimento sem assistência.

Cuidar de alguém que antes cuidava de nós não é fácil. Além de toda a quebra psicológica que isso representa, pode se tornar um grande gerador de estresse e angústia dentro do ambiente familiar. “Por onde começo? Preciso de ajuda? O que devo fazer?”.

Acalme-se. Respire fundo. E vamos lá.

O primeiro passo é entender quais as necessidades que esse idoso tem: um geriatra será capaz de identificar, dentro dos domínios de saúde, quais estão afetados e traçar um plano de cuidados junto a uma equipe multidisciplinar, respeitando as individualidades de cada paciente e de cada família.

Não me entenda mal, com certeza você é capaz de cuidar do seu pai ou da sua mãe, mas este não é um processo simples. Existirão frustrações, você irá se sentir drenado, muitas vezes até saturado. E não, você não é a pior pessoa do mundo por isso! Inclusive em alguns casos essa angústia pode ser tão grande que recebe até nome: estresse do cuidador.

O estresse do cuidador – físico e emocional decorrente do ato de cuidar – é comum, e as pessoas que sofrem dele podem inclusive apresentar vulnerabilidades em sua própria vida. Neste lugar, o seu foco pode estar tão direcionado ao seu ente querido que não percebe que sua saúde e bem estar podem estar em risco.

Então cuidado: muito estresse durante um longo tempo, mesmo no lugar do cuidador, pode prejudicar também a sua saúde! Para te ajudar com isso existem profissionais especializados no processo do envelhecimento e que estão preparados para traçar estratégias de acordo com cada situação.

Pega o bloquinho e anota aí: está tudo bem pedir ajuda. Você não está sozinho(a)!

8 Shares:
1 comentário
  1. Maravilhosa explanação e enfoque de um assunto tão delicado e que todos nós ,sem excessao, encontraremos pelo caminho.
    Obrigada e sucesso em sua brilhante carreira médica e mulher iluminada com a luz Divina.Nossa Senhora te abençoe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Saiba Mais

Agulhadas

E o dia que me esqueceram durante uma sessão de acupuntura, toda cheia de agulhadas no corpo?! Às vezes uma paciente tem que ser paciente...
Saiba Mais

A verdade

Para participar de um concurso de desenhos, eu precisava levar três obras originais e pintar um quadro ao vivo. Porém, eu só sabia copiar!