Fale um pouco sobre você. Nome, idade, atividade atual, onde mora. Como e por que começou a fazer o que faz hoje.

Meu nome é Maísa Zakzuk, nasci e moro na cidade de São Paulo. Me formei em Rádio e TV, na Faap, em 1989, mas quase fui profissional de música. Já tive até banda. Meu instrumento é o piano.

Gosta do que faz? Pretende mudar de carreira? Resolveu mudar de carreira por causa da pandemia ou já estava se preparando para esse movimento?

Eu levo uma carreira paralela de profissional de vídeo e literatura para crianças. Hoje eu dia eu diria que estou “plural”. Trabalho com conteúdo de qualidade e conteúdo educativo, sem deixar de lado o entretenimento. O que faço exatamente? Desenvolvo projetos culturais para instituições, escrevo livros e escrevo projetos sonhando um dia que eles virem realidade.

Acredita que somos mais felizes agora, na maturidade?

Sou igualmente feliz como era desde criança. A diferença é que ao longo dos anos, a gente a quantidade de momentos tristes vai aumentando. Ou será que não? (Sou pisciana, sonhadora e irritadamente bem-humorada).

Chegou onde pretendia, financeiramente – ou mesmo em termos de relacionamentos – onde imaginou? Faz um planejamento financeiro para o futuro? Ou deixa nas “mãos de deus”?

Fiz planejamento financeiro porque tive uma ajuda dos meus pais que puderam me dar uma carro e um apartamento para começa a vida.

O que mais incomoda nos 50 anos? Envelhecer, sob o aspecto físico, é uma questão? Ou não?

A única coisa que me incomoda é a flacidez. As rugas eu não estou nem aí.

Como lida com a beleza? Faz algum procedimento estético? Faz alguma dieta especial? Atividade física?

Faço atividades física com muito prazer. Nado duas vezes por semana e faço ginástica em uma academia cuja professora, que tem uma formação incrível, deve estar perto dos 70 anos.

Quando você pensa em saúde aos 50 anos, o que mais te preocupa?

Me preocupo em estar bem, ser autônoma e independente em todos os aspectos.

Tem uma rotina de “sanidade”? Hábitos quando acorda, quando dorme?

Acordo e durmo cedo. Não gosto de usar o celular após 9h30 da noite. Prefiro ler ou fazer amor para dormir.

Quais são seus luxos? Roupas? Massagem? Terapia? Tem alguma coisa que deixa o seu “dia a dia” mais leve? Alguma “ilha de paz” quando enlouquece dentro de casa?

Tenho uma ilha de paz, que é qualquer cantinho da casa com uma caneca grande de expresso duplo. Luxo: muitas cápsulas de nespresso, comida de qualidade que eu preparo para a família todos os dias.
E tempo pra isso!

O que te mantém nos eixos? O que te tira o sono?

Conversar com a minha mãe me deixa nos eixos. Terapia me deixa nos eixos (parei porque é caro), ter minha rotina e quebrá-la, também me deixa bem. Fazer bolo também.

Ainda tem algumas fantasias? Se sim, quais? Vale qualquer uma…

Fantasias? Ô se tenho. Mas são minhas. Ainda estou elaborando e tentando viabilizar.

O que te faz feliz hoje? Pode ser no dia a dia…

Me faz feliz estar em paz e saber que eu vou acordar bem, sem notícias ruins no meio da noite. Me deixa feliz que as pessoas que eu gosto estejam bem. Me deixa feliz trabalhar. amo, amo, amo criar.

Quem te inspira?

Tudo me inspira. Sou observadora. Mas sou louca por pessoas. Adoro conhecer pessoas o tempo inteiro.

Como se imagina aos 70 anos?

Aos 70 eu estarei igual. Só que mais evoluída. Não é para isso que estamos aqui?

0 Shares:
1 comentário
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Outubro Rosa
Saiba Mais

Outubro Rosa

Pra que serve o laço rosa, luzes rosas por toda a cidade iluminando prédios, monumentos e toda a mídia em torno do tema?