Entra ano, sai ano e sempre tendemos a escorregar na casca de banana por criarmos expectativas sobre os outros ou, até mesmo, sobre nós mesmos… Quem nunca? Há pelo menos uns 20 anos recebo esse valioso conselho da minha “irmã” Karin, mas eu confesso que não consigo absorver a mensagem como deveria. Preciso evoluir, reconheço. Ainda crio expectativa sobre os outros.

Sim, infelizmente não podemos esperar do outro a mesma atitude que nós temos, mas porque quando a ficha finalmente cai, é tão dolorosa? Talvez, com o passar do tempo, vamos ficando mais “calejadas”, mas, ao menos por aqui, a pancada ainda dói (às vezes, muito mais até do que deveria), independentemente de você conhecer a pessoa há uns meses, há muitos anos e, até mesmo, estar casada com ela. Invariavelmente, a frustração vem e é preciso levantar essa placa: não espere nada do outro.

Por muitas vezes, me questiono: caramba, para que eu vou ficar “investindo o meu tempo” com alguém que não é recíproco? Sim, é perda de tempo e de energia, mas a realidade é que a prática ainda exige um esforço se a gente ainda acredita que pode dar certo. Como eu já devo ter comentado por aqui, sou uma canceriana com o coração mole…. Então, mesmo aos 41 anos, sigo nesse exercício quase que diário de aceitar as nossas diferenças e expectativas.

A própria palavra doar já traz o sentido de algo que se faz com amor, genuinamente. Então, celebre o outro, sempre. Ajude na construção dos sonhos, festeje quem você ama, mas sempre com os pés no chão e lembrando que a vida pode não ser sempre recíproca com você. E isso não é nada pessoal e nada por mal. Apenas o outro pode ter uma visão bem diferente da sua e encarar certas questões de forma mais prática e objetiva.

Apenas tome o cuidado para não focar tanto em situações que não tem a ver com você, a ponto de se anular. Faça. Sempre. Mas se coloque em primeiro lugar. É o exercício de celebrar quem celebra você!

Um beijo e até a próxima

0 Shares:
1 comentário
  1. Seu texto caiu como uma luva em mim, principalmente numa situação atual que estou vivendo…sempre me “cobro” c relação à isso, sempre me “aconselho” a fixar mais esperta, respirar mais, mas…como ñ criar expectativas qdo vc conhece alguém novo, q te faz aflorar como mulher? Sim, exercício diário! Tínhamos q ter um “ponto” , como usam o pessoal da TV, p a nossa consciência nos dar toques, vez em quando rs. Super beijo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Mesa para três
Saiba Mais

Uma mesa para três

Já reparou como as amigas solteiras são excluídas dos rolês de casados? Será que rola uma mesa para três ou somos obrigados a andar em pares?
Vai passar
Saiba Mais

Vai passar

Uma frase que me acompanhou no tratamento de câncer de mama e até hoje, mesmo nas pequenas dificuldades é: isso também vai passar!
Liberdade
Saiba Mais

Sobre a liberdade

Quanto mais “eu” puder ser na caminhada pré-50, maior será o mundo. Merecemos liberdade, por vivermos uma existência intensa e complicada.