Uma das perguntas que mais recebo em meu perfil de Instagram @caxfigaro é essa: “Qual a armação de óculos é a ideal para meu formato de rosto?”. Antes de contar qual é a minha resposta, acho importante salientar porque essa frase aparece com tanta frequência. Quem nunca usou óculos ou quem sempre usou mas, mesmo assim, não gosta da sua imagem no espelho, se sente insegura!

A insegurança é um dos, se não o principal, fator que gera resistência para comprar ou trocar de armação. E a insegurança da qual estou falando não é a daquela adolescente que fica receosa em ser a diferente no grupo. Estou falando de insegurança de mulheres adultas, maduras, que são independentes em tantos aspectos, mas que ainda temem a opinião de familiares, principalmente dos companheiros(as). Depois dos companheiros, vem a preocupação com o que os filhos vão falar!

Estou falando por experiência própria! Passei décadas usando a mesma armação e só a trocava quando quebrava. Meus óculos duravam bastante pois eu vivia de lentes de contato e só os usava em casa. Quando tive que parar de usar as lentes em 2010, ou seja, com 44 anos, isso me deixou bem triste na época, pois só me sentia bonita sem meus óculos.

Minha imagem no espelho, nas fotos e em vídeos eram sempre sem óculos. Eles não me representavam e eu não estabeleci uma boa conexão afetiva com eles. Muito pelo contrário, eu os detestava e, pior, agora eles iriam fazer parte constante do meu dia a dia. Eu teria que me adaptar.

Então, não conseguia enxergá-los com bons olhos. Acabava comprando uma peça de metal para acompanhar meus acessórios em ouro ou prata. Cor? Nem pensar!! Formato diferente? Nunca. Esse panorama começou a mudar quando passei a conhecer as marcas que eram importadas pela empresa do marido de minha sobrinha, cuja família trabalhava no ramo óptico há muitos anos. Descobri um universo desconhecido e fui aprendendo a aguçar o meu olhar.

Em minhas viagens passei a olhar as vitrines de óticas na busca de pecas diferentes. Foi assim que comprei minha primeira peça mais ousada, depois de quase duas horas tirando e colocando a mesma no rosto e perguntando, mais de mil vezes, ao meu marido se eu estava bonita. E mesmo assim, morrendo de medo do que as pessoas iriam falar quando eu voltasse ao Brasil.

Porém, quando usei a peça pela primeira vez a reação das pessoas foi, exatamente o oposto à das minhas fantasias. Todos queriam saber onde eu havia comprado meus óculos e repetiam que eles estavam super bonitos no meu rosto.

Se eu deixasse me levar pela minha insegurança jamais teria dado esse passo tão fundamental! Sim, pois foi a partir desse passo que comecei a investir em óculos cada vez mais diferentes. A caixa de Pandora estava aberta.

E daí uma coisa puxou a outra. Eu passei a usar acessórios mais modernos, deixei na gaveta minhas correntes de ouro fininhas com pingentes que já não representavam aquele momento de mudança. Comecei, naturalmente, a fazer harmonizações, com meus óculos e acessórios, que se tornaram minha marca registrada!

Mas desde o início, quando comprava uma peça nova, não ficava preocupada com meu formato de rosto! Nunca pensei qual deveria ser o modelo IDEAL. Minha atenção estava voltada a modelos diferentes, que não fossem “carne de vaca”. O que era mais importante era o contraste, ou seja, qual cor dos combinaria mais com minha cor de pele e cabelos.

Sabia que determinada peça era a ideal mim quando, ao me olhar no espelho, ficava, literalmente, sem fôlego pelo conjunto rosto + armação!

Por isso, voltando à pergunta que fazem no Instagram, respondo o seguinte: a armação ideal é aquela que você coloca no rosto, sente-se confortável, mas, principalmente, LINDA! A peça ideal é aquela que você mesma fica sem ar ao seu ver tão bonita!

Seu maior admirador deve ser você mesma. Por isso, confie no seu taco. Não compre peças que as óticas insistem em lhe vender. Não compre esse papo de armação ideal conforme formato de rosto. Temos linhas faciais que não são fixas pois podemos engordar, emagrecer, perder musculatura e colágeno durante nosso processo de envelhecimento. Sem falar que estamos sempre em processo de mudança.

Outra dica: não compre uma peça porque é tendência! Procure algo que seja mais conectado a você não à moda! Existem modelos que são atemporais, não cansam. E outros que de tanto sucesso que fizeram, passam a ser pirateados e você, que pagou uma nota, vê um modelo igual ao seu na barraquinha do camelô!

Por isso, seus óculos devem combinar com seu estilo, com seu momento. Devem fazer harmonia com seu tom de pele e cabelos, com seus outros acessórios e principalmente, devem representar a sua identidade visual. Temos exemplos interessantes de como formato de óculos não tem nada a ver com formato de rosto.

A super icônica Iris Apfel, americana que em agosto desse ano fará 100 anos, tem o rosto magro, traços mais delicados, mas isso não a impede de usar uma armação redonda com aros enormes e de abusar nos acessórios gigantes. Esse é a identidade visual que ela foi construindo ao longo dos anos. Sua marca registrada.

Outro exemplo é a Rainha Elizabeth II! Como ela é super tradicional, seus óculos seguem seu estilo! Armações em metal fino com lentes que escurecem quando ela está em ambientes externos. Seus óculos de metal e sua bolsa preta de mão passaram a ser sua marca registrada. Combinam com seu estilo mais austero.

Os dois exemplos são de mulheres acima de 90 anos com estilos, totalmente, diferentes. Vemos a jovialidade e ousadia de uma, e a seriedade e tradição da outra. E os óculos transmitem, exatamente, isso. Portanto, os óculos ideais são aqueles que se transformam em nossas marcas registradas. Podem ser apenas uma peça! Mas, acredite, é muito mais divertido quando temos mais de uma opção.

E você? Tem uma armação ou várias que te representam? Me conta nos comentários.

1 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Saiba Mais

Veste pra você!

Não há limites para criatividade e tampouco para quem deseja vestir uma peça linda de moda íntima, que destaca exatamente o que se quer usar.