Tivemos infinitos posts e publicações em redes sociais comparando recentemente os corpos de duas personalidades do mundo artístico – a atriz Emma Thompson e a atriz, cantora e bailarina Jennifer Lopez, conhecida como JLo.

Emma, uma atriz britânica de 63 anos, adepta de um envelhecimento mais natural diz que “negar o envelhecimento não é saudável” e que sempre “foi uma idiotice”. Mas afirma em uma entrevista: “A questão eterna, que jamais imaginei que perguntaria, é: ‘quem sou eu/’. Sempre fui segura disto, mas a verdade é que não faço ideia”. O enigma de se ver em uma fase com filhos crescidos, com muitos anos ainda pela frente. Emma está no momento nas telas do cinema com o polêmico “Leo Grande”, um filme sobre sexualidade madura em que aparece nua, seu papel, de uma viúva que quer ter os prazeres sexuais que não teve no seu casamento.

Jennifer Lopez, 52 anos, exibe um corpo que muitos chamam de perfeito. As fotos com Photoshop em contraste com fotos na praia deram o que falar por incentivarem um corpo impossível para a maioria das mulheres. Ela vive de sua imagem, é uma sex-symbol, dança e canta nos palcos e tem uma rotina de treinos intensa. Seu corpo é sua ferramenta de trabalho.

São perfis completamente diferentes, e na minha opinião de mulher e nutricionista, opções de vida perfeitamente cabíveis. Afinal, a liberdade de escolha em pleno século 21 não deveria mais suscitar debates tão acalorados. Podemos sim, optar em envelhecer de maneira natural assim como podemos optar em dedicar mais tempo ao corpo e a imagem. O menu de opções é farto, escolha o seu.

Eu, uma mulher normal, brasileira, 49 anos, trabalho com saúde e tenho a minha vaidade. Não tenho a disciplina de JLo, mas não me vejo como Emma Thompson. A alimentação também influencia como nosso corpo será. Proteínas assim como atividades de força (musculação), alongamento (yoga, dança e pilates) são fundamentais para manutenção de uma pele firme, uma musculatura que proteja meus ossos e articulações e me permita ter mobilidade e agilidade.

Evitar alimentos industrializados, pegar leve em álcool, é uma responsabilidade comigo mesma, um autocuidado, amor próprio. A genética nem sempre ajuda, certamente tenho propensão ao acúmulo de peso, e vivo em guerra com a balança a vida inteira. Outras vão sentir o oposto com o avançar dos anos, a dificuldade em manter músculos e um emagrecimento mais acelerado. Não existe regra.

Para ter um corpo como o de JLo nem sempre a saúde vem em primeiro lugar. Muitas mulheres lindas que vemos nas redes sociais acabam fazendo uso de substâncias que não são tão benéficas assim. Não sei se é o caso dela, mas poucas tem uma genética que faça um corpo de uma mulher de 50 anos parecer o de uma mulher em forma de 30.

Cuidar da saúde acaba trazendo benefícios estéticos. Uma “Renata” que, sim, quer emagrecer, quer ser bonita, mas não tem a vaidade que coloque a saúde em segundo plano. Quero aceitar o passar dos anos como escolhi – com mais leveza, com saúde e me sentindo bonita. Não estou como gostaria, mas sempre no caminho. Minha saúde agradece!

Qual sua busca? Como você olha o envelhecimento? Meu conselho de mulher e profissional de saúde – escolha um caminho que lhe traga bem estar. Sem saúde, sem uma estrutura de corpo que te permita seguir bem pelos anos que virão, não há alegria. Relaxar de vez, não se exercitar, não se alimentar com nutrientes que lhe mantenham saudável, curtir a vida sem planejamento, não traz alegria. Acredite, sai mais caro para o seu corpo, sua alma e certamente seu bolso. As contas de hospital são mais caras que a de uma alimentação equilibrada, suplementos e de atividades físicas regulares, pense nisto.

Aguarde para novas dicas, e anote esta – nem JLo nem Emma Thompson, VOCÊ escolhe seu caminho, seja sua melhor versão, crie rotinas que misturem saúde e prazer. SEJA SUA MELHOR VERSÃO.

Um beijo da Rê

0 Shares:
4 comentários
  1. Aplaudindo de pé! Tenho sorte de ter genes que me presentearam um metabolismo mais rápido, uma pele sem estrias, celulites – pareço envelhecer devagar. Gosto dos temas alimentação e esporte, isso ajuda, claro. E acredite se quiser: tem gente que não aceita que eu, aos 62, tenha o corpo que tenho – sem saber da minha rotina, me criticam por acharem que exagero em querer permanecer jovem. Eu estou com você e não abro: que cada uma de nós seja respeitada pela maneira que quiser (ou puder) envelhecer!
    Obrigada pelo excelente artigo. Aliás, sabe que sou sua fã, já te disse isso milhões de vezes. E vou repetir sempre! 🌹

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar: