Descoberta uma forma eficaz de prevenir cancer de ovario, o cancer ginecológico mais letal.

Uma orientação divulgada no início deste ano pode literalmente salvar a vida de muitas mulheres. A recomendação é simples: todas as mulheres deveriam considerar a remoção das suas tubas uterinas (antigamente chamadas de trompas de Falópio) depois de já não desejarem mais ter filhos, para prevenir o cancer mais temido da ginecologia: o dos ovários.

O cancer de ovario é um dos mais traiçoeiros por sua alta letalidade: 70 a 80% das vezes em que é diagnosticado, já está em fase avançada. Há muitas décadas os pesquisadores tentam identificar alguma forma de diagnosticar precocemente este cancer, à semelhança das mamografias e papanicolau, eficazes para a prevenção dos canceres de mama e colo de útero. E até hoje não há nenhum exame de sangue ou de imagem útil para o rastreamento e capaz de reduzir a mortalidade pelo cancer de ovário.

Por outro lado, as pesquisas modernas sobre o cancer de ovário trouxeram uma descoberta bastante relevante: na grande maioria dos casos, o cancer se desenvolve não no próprio órgão, mas a partir das células das trompas uterinas, que ficam ligadas aos ovários para captar o óvulo permitindo a fecundação.

Enquanto os ovários têm a função de produção hormonal até a menopausa, as trompas uterinas e o útero servem exclusivamente para a gravidez, deixando de ter qualquer utilidade após terminado o período reprodutivo da mulher.

Por esse motivo, já há alguns anos existe a recomendação mundial para mulheres sob maior risco genético ou familiar para cancer de ovario, de fazerem a remoção preventiva das suas trompas uterinas. Ou por exemplo, para mulheres que irão se submeter à laqueadura tubária (esterilização definitiva da mulher, equivalente à vasectomia no homem), já é considerada inadequada a forma clássica convencional de apenas obstruir as trompas: o mais indicado é a remoção completa delas, pelo motivo da prevenção do câncer.

Mas a notícia recente, divulgada no dia 1º de fevereiro de 2023 pela Aliança para Pesquisa do Cancer de Ovario (Ovarian Cancer Research Alliance – OCRA), é impactante porque agora se tornou universal: todas as mulheres devem considerar a remoção de suas trompas uterinas depois de terem filhos, como única forma existente de prevenir esse câncer tão agressivo.

Um grande estudo publicado no The Lancet em maio de 2021 foi o que motivou essa recomendação. Os resultados da pesquisa feita com mais de 200.000 mulheres por uma média de 16 anos mais uma vez confirmaram o que todos os estudos anteriores haviam mostrado: a impossibilidade de prevenir, diagnosticar precocemente ou reduzir o índice de mortalidade pelo cancer de ovários.

Leia também: Amor próprio e o mito do amor perfeito

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Saiba Mais

Sobre a vaidade

Acordei com um raio de sol tão insistente, chato, que parecia ter atravessado o quarto com a única…
Imbrocháveis
Saiba Mais

Imbrocháveis

Esqueça o palanque. Se joga na cama. Imbrocháveis, preparem o espírito que lá vem bomba... Brochas, sejam muito bem-vindos!