Lu, conta pra gente um pouco da sua experiência profissional antes da Arbre. 

Antes da Arbre eu trabalhei por 11 anos no mercado financeiro, onde tive uma carreira de sucesso como analista de investimentos. Fui Diretora e coordenava um time que apresentava oportunidades de investimentos para os principais fundos de investimentos internacionais em América Latina e Brasil. Depois tive filhos e a carreira de muitas horas de trabalho e viagens internacionais se tornou incompatível com o meu papel de mãe presente, canceriana que sou. Sempre fui muito inovadora e criativa e resolvi sair do mercado financeiro e empreender. Fundei uma empresa de cosméticos vegana, em 2004, a EST, e já trabalhava com óleos essenciais para perfumar os produtos, numa época em que as pessoas não tinham ainda ideia do que era “não usar ingredientes de origem animal” e as propriedades terapêuticas dos óleos essenciais. Tive a EST por 12 anos até quando, na meia-idade, aos 45 anos, entrei numa crise existencial, fechei a empresa, e provoquei mudanças significativas na minha vida. Entrei num período sabático de 3 anos em que fui fazer minhas “faxinas internas” para saber quem eu era, qual o meu propósito e o que eu vim fazer neste mundo.  

Com uma carreira focada em resultados e totalmente imersa no mundo corporativo, qual foi seu “turning point”? Como você desenhou a Arbre mentalmente?

O meu turning point foi “sentir”. Comecei a entender o que eram sentimentos, comecei a perceber que eu me sentia mal, que dentro de mim não estava bom. Que eu não queria continuar a viver daquele jeito. O meu mundo interno me sinalizou que algo precisava mudar. Fora e dentro de mim. Eu não estava feliz. O desenho da Arbre começou a existir a partir da mudança do meu mundo interno. Quando percebi que eu podia criar um produto que ajudaria as pessoas a viverem melhor. Internamente.

Como foi o início da Arbre? Quem foi sua inspiração?

O início da Arbre aconteceu através da minha própria experiência pessoal. Eu fui a minha inspiração pois experimentei mudanças internas muito importantes com o uso dos óleos essenciais como aromaterapia e dos florais na terapia floral. Passei de um estado de dor e sofrimento para um estado de conforto e bem-estar interno. Houve uma transformação muito importante dentro de mim. A minha auto-percepção aumentou e com isso pude viver melhor. O RE-conhecimento do meu mundo interno me mostrou que tudo que eu busco fora de mim já está dentro de mim. Só preciso saber acessar. A Arbre faz produtos que nos ajudam a acessar este bem-estar interno.

Quantos anos você tem? E quais são os desafios de empreender na maturidade?

Tenho 53 anos. Empreender na maturidade tem um lado muito positivo porque temos experiência de vida, já vivemos bastante, já entendemos as “regras do jogo da vida”. Por outro lado, não há tempo a perder. O tempo é menor para erros e ajustes no caminho, que são fundamentais numa jornada de empreendimento.

Conta um pouco sobre a Arbre. Quais são os valores da marca?

A Arbre é um portal de saúde, beleza e prosperidade. Cada produto traz em si energia vital que reequilibra o nosso organismo e promove saúde e bem-estar internos, para que possamos viver em harmonia. Os produtos da Arbre atuam nos corpos físico, emocional e espiritual. São muito diferentes dos produtos que estão no mercado hoje pois trazem um novo conceito de beleza. A beleza que vem de dentro.

Cuidado, qualidade e propósito são os três pilares da marca, que é pautada em valores de Respeito, Verdade e Transparência.

Você acredita que hoje, depois dos 50 anos, chegou onde queria? Não financeiramente, mas feliz com seu projeto?

A minha visão de autodesenvolvimento é que até o último dia de vida eu estou progredindo, aprendendo, me aperfeiçoando como Ser.Eu respondo a tua pergunta dizendo que sim, eu estou muito feliz de estar onde estou hoje. A minha jornada até agora foi incrível, tive muitos aprendizados, já realizei muito do que gostaria. Mas ainda pretendo realizar mais. A Arbre está começando e tem muito ainda a percorrer e trazer frutos para a vida das pessoas.

Quais são seus projetos futuros? Tem um foco especial na maturidade?

Meus projetos futuros incluem o desenvolvimento do meu trabalho como terapeuta integrativa, coach de vida e saúde. Eu já tenho, através da Arbre e dos produtos que criei, um foco em mulheres e em maturidade. Pretendo desenvolver o meu projeto para ajudar as pessoas, e principalmente as mulheres, a acessarem saúde, felicidade e prosperidade. Esta é a área em que me especializei através do meu mestrado com o Dr. Amit Goswami, físico quântico.

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Saiba Mais

Pare. Olhe. Se escute!

Fiquei um tempo totalmente sem criatividade pra escrever. Descansar é preciso, viu? Além disso, um conselho: pratique o unfollow terapêutico.
Saiba Mais

Muito prazer, Renata Rea

Minha história profissional é como um romance: mudei algumas vezes de rumo, larguei tudo para trás e vou contar um pouco para vocês.