Sou Mercedes Alzueta, tenho 54 anos. Sou empreendedora desde sempre e criar sempre foi uma grande paixão e por muito tempo me realizei na área de joalheria e moda, desenvolvendo produtos para minhas marcas e para terceiros.

Mercedes Alzueta

Em 2019 senti que meu trabalho não me completava, não falava mais de mim e do que eu era naquele momento. Sentia um grande vazio e tomei a decisão de fechar meu atelier e, após quase 30 anos, experimentar trabalhar em casa em busca de outras possibilidades.

Com a chegada inesperada da pandemia, a viagem para dentro de mim ficou mega intensa e naquele momento em que todas começamos a nos mobilizar para ajudar aos mais vulneráveis e necessitados, senti que eu poderia contribuir para ajudar mulheres que se sentiam perdidas e sós a refazer seus planos, e encontrar em seus propósitos uma oportunidade para torná-los negócios de verdade.

Tive o apoio do meu marido, Felipe, que acreditou em meu sonho e me incentivou com um curso de Design Thinking, e com minha experiência, coragem e compromisso de ser feliz comigo mesma, comecei a estruturar meu programa de mentorias.

Mercedes Alzueta

O desafio de inovar e trazer frescor à minha vida foi o combustível que eu precisava, somados ao desejo de ser um exemplo para minha filha, agora com 11 anos, de que sempre temos que buscar o que nos move e motiva.

Meu conselho para quem quer se descobrir numa nova aventura é começar por se amar! Estar de bem com você, e tornar-se prioridade, vai te levar a uma vida com leveza, alegria e realização em qualquer área que você desejar empreender. Busque sua essência e seja verdadeira com ela!

0 Shares:
1 comentário
  1. OBRIGADA CLAUDIA ARRUGA E TODOS OS ENVOLVIDOS. ´PARA MIM É MOTIVO DE ORGULHO E ALEGRIA COMPARTILHAR MINHA HISTÓRI,A E QUE ELA POSSA INSPIRAR MUITAS MULHERES A ACREDITAREM NELAS MESMAS E EM SEUS SONHOS. BJS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Continue-se
Saiba Mais

Continue-se!

Hoje estou aqui para te lembrar disso: continue-se. É muito fácil, até intuitivo, nos apegarmos às tensões por que passamos nesse período.