Tosei a juba. E eu não separei, mudei de emprego ou nada parecido, simplesmente deu siricotico de mudança. Depois de alguns anos com o cabelo no meio das costas e num tom meio loiro resolvi resetar. Cortei em cima do ombro e escureci.

O que me levou a fazer isso foi a necessidade de me ver diferente. É curioso como me acostumo com algumas coisas e sigo repetindo no automático o que funciona. Mudar radicalmente o cabelo me tira do automático.

Com o cabelo longo eu sabia que um cabelo amarrado pro alto funcionava super bem, sabia a quantidade de shampoo sem nem olhar e muitas outras pequenas coisas do dia a dia relacionadas ao cabelo e a minha aparência. Agora até o banho precisa de atenção.

Outro ponto que gosto muito é que pra mim os cabelos marcam visualmente fases. Adoro olhar as minhas fotos antigas e ver as fases que passei. Me lembro dos momentos, e sobretudo o que eu pensava e acreditava na época.

Comecei a mexer no meu cabelo muito nova, além dos tradicionais cortes com 12 anos encasquetei que queria fazer permanente pra ficar com o cabelo parecido com o da Nikka Costa. Claro que não deu certo, minha mãe nunca entendeu que não se penteia cabelo encaracolado seco e por isso nunca tive os cachos do jeito que eu queria.

Cores já passei por várias, desde o loiro mais loiro até o quase preto passando pelo ruivo. Adoro ver todas as Anas que fui e que continuam fazendo parte de mim. É claro que existe todo um conforto nas coisas conhecidas, mas de quando em quando sinto que preciso mudar e sair do meu lugar de conforto.

Uma vez li sobre a importância de constantemente mudar coisas pequenas do dia a dia, uma forma de exercitar o cérebro. Mudar o caminho pro supermercado ou pro trabalho. Inverter o jeito que se toma banho, trocar os móveis de lugar. Gosto de fazer essas coisas, acredito muito que se eu fizer tudo do jeito que eu sempre fiz eu vou continuar tendo o que sempre tive. Então de quando em quando é hora de mudar tudo. Me conta, qual a sua relação com o seu cabelo e com mudança?

1 Shares:
1 comentário
  1. Ah! Se eu pudesse, mudaRia de cor com bastante FREQUÊNCIA! Mas… Tenho alergia à COLORAÇÃO QUÍMICA. Como ainda Não quero deuxaR Os bRancos – já EXPERIMENTEI e Não gOsteI, só me resta a única cor POSSÍVEL da henna…
    mas, SEMPRE longos… Gostei da sua coragem!

    @ageingrace

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Estresse
Saiba Mais

Estresse engorda?

Estresse não é uma doença, e sim uma reação do organismo que ocorre quando uma pessoa se depara com uma situação que lhe tira o equilíbrio.
Saiba Mais

Veste pra você!

Não há limites para criatividade e tampouco para quem deseja vestir uma peça linda de moda íntima, que destaca exatamente o que se quer usar.