Inicialmente, meus queridos, eu gostaria de prestar toda a minha solidariedade àqueles que perderam família e amigos, aos profissionais de saúde, às mães e a todos que precisam sair de casa para trabalhar.

Não sei vocês, mas cheguei em um ponto que é difícil até explicar a dimensão do meu cansaço mental. Infelizmente, eu não posso me alienar nesse momento, mas confesso que seria um sonho.

O sono já nem mais sei como me relacionar saudavelmente com ele, a TV tenho quase pavor de ligar nos jornais, o mesmo, valendo para as mídias de comunicação na internet que eu acompanho. Vontade de chorar quase que diariamente.

No início dessa pandemia eu tentei ser aquela otimista que não tem maturidade para não comprar um curso online. Atualmente, eu agradeço o prazo de 01 ano para acessá-los, pois tem sido o que preenche meus momentos off. Lives? Podcasts? Escolhidas com muito carinho hoje em dia! (Edit: por favor, sala do Inconformidades às quintas-feiras, não esqueçam!)

Tentei também meditar e falhei lindamente. Hoje, então, já desconsiderei a possibilidade e aproveito, quando tenho tempo, apenas para admirar o conteúdo acolhedor das meditações, porque a mente não sai daqui. Continuo apaixonada pelo Netflix, mas escolhendo muito detalhadamente a minha série ou filme, pois a minha lista do “se eu assistir isso, irei chorar, fato”, aumentou bastante.

Não raras as vezes em que preciso respirar muito fundo porque a irritação tem me pego para cobaia muito mais fácil do que antes (e vejam que, por incrível que pareça, eu ainda me considero calma). O casamento (gente, pensar que é um conto de fadas, melhor deixar na Disney, ok?) ficou um pouco “diferente”, os relacionamentos amadureceram, talvez. Não sou mais aquela amiga canceriana, olha que engraçado? Eu entendo e respeito o momento e, principalmente, o estado de cabeça dos meus amigos (e o meu!). Não ficarei por nada chateada se uma amiga não me retornar, sabe?

O custo de manter a sanidade tem sido bem alto. O boxe tem me ajudado muito, preciso reconhecer. Mas a sensação é a de estar fazendo testes e mais testes para o papel de dublê do Rambo!

E vocês? Quero dicas para abraçar a mente nesse momento!
Um beijo e até a próxima!

80 Shares:
2 comentários
  1. dica: compre uma bike, e sinta o vento no rosto, vá devagar e apreciando a natureza. Não pare em lugar nenhum e volte p casa cansada e feliz!!! kkkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar:
Saiba Mais

Não Vivo Sem

Os Pururucats!!! É assim que chamo meus felinos. Tenho 4, todos adotados. São eles Carlota (9 anos), Abigail…